Debates Sociais | Rejeição confirma guerra entre extremos

Por: Axe Schettini
04/10/2018 10:25 - Atualizado em 04/10/2018 10:26
Tamanho da fonte: A A

Chegando aos últimos dias de campanha eleitoral, não há outro sentimento a não ser o de confronto de ideais. Conforme o Datafolha, divulgado na terça-feira (02), a rejeição dos dois candidatos que estão na frente, Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT), apresentam uma negativa enorme, 45% e 41%, respectivamente.

Essa análise afirma que, mesmo antes do primeiro turno, teremos um grandioso embate na segunda etapa do pleito, caso ele ocorra. Com mínimas chances de vencer no primeiro turno, Mauro Paulino, diretor-geral do Datafolha, afirma que Bolsonaro teria que angariar todos os votos de Marina Silva (Rede), Henrique Meirelles (MDB), João Amoêdo (Novo) e Álvaro Dias (Podemos), para arrematar a eleição neste domingo.

Duas novas pesquisas do instituto mais respeitado do Brasil serão divulgadas antes das eleições. Uma será hoje, antes do último debate presidencial, que será na Rede Globo, às 22h, e a outra será amanhã (05), com 17.056 entrevistas, tirando o termômetro pós-debate.

Caso a eleição não termine no domingo (07), o Brasil verá o maior embate político dos últimos tempos. Será a batalha da rejeição, da escolha do “menos ruim”. Será uma verdadeira luta de classes, a eleição que será o divisor de águas para o país. Não importa quem vença, mas sabemos que dias sombrios viveremos.

Que a conquista pelo voto seja plena, que a disputa seja democrática e que, mais do que nunca, as urnas sejam respeitadas. Será uma grande disputa. Temos uma certeza, o resultado das urnas trará um novo Brasil, não sabemos ainda se isso é bom ou ruim. Viva a democracia.


Sicoob - Home

Avenida Plínio Arlindo De Nês, 1105, Sala 202 - Centro
Xaxim - Santa Catarina
CEP: 89825-000
redacao@lenoticias.com.br
(49) 3353-5210
(49) 99997-9025