Quem é melhor entre iguais?

Por: Axe Schettini
26/06/2017 09:40 - Atualizado em 26/06/2017 09:40
Tamanho da fonte: A A

O servidor da Saúde ou da Infraestrutura, que corta galhos e dá injeção, são da mesma categoria. Foi a lei que separou a altura entre eles e, cheia de artimanhas, jogou uns contra os outros. Os trabalhadores sempre foram pisados no pescoço. A lei joga contra e a arrogância do Poder dá o tiro de misericórdia. O país é um exército de analfabetos que atiram no próprio peito. O golpe que a Nação viveu há pouco mais de um ano mostra isso claramente. Zumbis nas ruas sufocando a própria voz, direitos e sonhos. Agora estão aí, na frente das prefeituras de Xaxim e Brasil afora pedindo o que deram de presente aos seus principais algozes. Analfabetos são necessários para isso mesmo. Querem o que mesmo?


Heróis

Os professores brasileiros tem menos respeito que um político corrupto como Temer, por exemplo. Ganham vergonhosamente e trabalham gloriosamente porque a profissão é como um sacerdócio.

Luta

Os políticos são a espécie cancerígena mundial embora tenha-se, no meio deles, bem intencionados. A greve que ocorre em Xaxim é muito mais política que falta de negociações. É partidário.

Exemplo

A prefeitura está enxuta, o governo está amarrado pelas consequências herdadas e não tem milagres. Se existisse diálogo entre as partes, haveria concessões. A prefeitura está quebrada para negociar.

Lembrança

Lírio e Adriano venceram o pleito passado na esperança de colocar o município nos trilhos que Idacir Orso e seu coletivo destruíram. Diálogo na greve não resolve. Ali o caso é político. Só político.

Dificuldade?

O que é pior para Lírio e Adriano na questão da greve? Vencer um pleito ou sentar para negociar? Ali são políticos contra políticos. Os lados jogam para tirar dividendos na opinião pública. Não tem nada errado.

Cadê?

Gildomar Michelon é Idacir Orso e fala só. Ninguém de seu partido, até o momento, foi em seu auxílio. Joseane Sampaio nunca foi do PMDB e Ledinho não precisa da sigla para se eleger. Os demais calaram.

Diálogo

A dupla Lírio e Adriano está sendo orientada a se manter tranquila. A queda de braço é apenas uma questão política que, no ano que vem, anotar, vai ter tudo novamente. Não tem solução.

Onde?

Idacir Orso também viveu as mesmas situações e, naquele momento Gildomar não apenas se escondeu, não serviu para nada. Como porta voz errou geral deixando os servidores da saúde abandonados.


Personagens

- Lírio Dagort

Prefeito de Xaxim, pela segunda da vez, pegou uma prefeitura até então entregue às moscas. Tem dificuldade financeira, recursos diminuídos pelo caos na economia do país, arrecadação em queda livre, está amarrado aos compromissos com fornecedores em todas as direções. Não senta para conversar com o Sindicato porque estão nesta categoria justamente quem nunca vai respeitar sua vitória eleitoral no ano passado.

- Vânia Barcellos

Está à frente da entidade e, eleita democraticamente, fala na linguagem daqueles que representa. Na questão em Xaxim, busca entendimento com o governo que, cheio de dificuldades financeiras, com apenas seis meses, faz barulho para ganhar a opinião pública e afirmar que o prefeito é ditador, arrogante, antidemocrático como é natural em todos os movimentos que realizam. É casada com Lizeu Mazzioni que preside a entidade federativa.

- Gildomar Michelon

Vereador e membro do PMDB. Foi secretário da Educação no governo passado e é contra o atual prefeito em quaisquer circunstâncias. Pode Lírio Dagort conceder 1000% de aumento, revolucionar o Plano de Carreira e Salários que vai ser sempre contrário ao governo. Foi responsável direto pelo caos que a prefeitura tem vivido. Envergonhado, não abre a boca para falar do caos deixado por Orso, seu amigo pessoal.


Seletivo Unochapecó
Rua Rui Barbosa, 328 - Centro
Xaxim/SC. CEP 89825-000
redacao@lenoticias.com.br
(49) 3353-5210
(49) 8504-6814