Aurora do agronegócio; MDB discute futuro; Santo Gilmar Mendes; Muda tudo em SC; Progressistas e PSD; Gigante Buligon real

Por: Marcos Schettini
15/04/2019 00:18
Tamanho da fonte: A A

Gigante Buligon encaixando-se aos tempos

O prefeito de Chapecó não vai fazer nenhuma festa de filiação ao Democratas que possa, ao seu ver, gerar despesas desnecessárias para vingar um projeto político. Se Rodrigo Maia e ACM Neto desejarem comparecer em Chapecó, teriam um custo altíssimo para mobilização e, por isso, dinheiro público desnecessário para tal. Gigante diz que, mais natural, é sua ida ao diretório nacional do partido e entrar suave na sigla evitando equívocos. Está feliz com o andamento dos trabalhos na prefeitura e as obras que realiza. Como não é candidato a prefeito, olha-se dentro do DEM para visualizar as estaduais de 2022 com leveza. Sabe que o período de dois anos, até este objetivo, tem muitos acontecimentos a aparecerem. Não tem medo de nada e diz-se livre de preconceitos. Sabe que na vida pública sobreviver não é fácil e que, como a roda sobe e desce, tem nas mãos do futuro o que vier. Mata no peito e espera que esteja na melhor resposta. Cada tempo, sua resposta.


Terrorismo
A Aurora completa hoje 50 anos enfrentando todo tipo de ataque que o mercado produz para tirar sua liderança no setor produtivo. A operação Carne Fraca, violenta para destruir o campo brasileiro em função das estrangeiras, não deu certo e ela se fortaleceu.

Fortalecimento
Mais que demonstrar que haviam marcas sem o respeito no mercado, capaz de colocar em xeque o setor, principalmente em SC, a operação Carne Fraca deu luz a Aurora. Vendo-se limpa e transparente, é referência no mundo do agronegócio.

Eles
A chegada da Aurora aos 50 anos tem a assinatura de Aury Bodanese e seus iguais. Uma pequena guarnição de soldados voluntários que iniciaram o que ninguém acreditaria. Empreendedorismo que o Empretec afirma existir em todos e que eles não sabiam.

Motor
A festa dos 50 anos, com a plena dedicação de Isabel Machado, liderando as comemorações, é a marca de sua inclinação pessoal. Faz dois anos que ela e sua equipe estão desenhando os eventos que vão até o final do ano. Ela é presidente da Fundação Aury Bodanese.

Retorno
Eduardo Pinho Moreira almoça amanhã com a bancada e vai reiterar que está fora da disputa pela presidência do partido. Quer escutar os desafios que o partido tem a buscar quando, sem tempo, só ele tem isso disponível com ouvidos abertos ao apelo.

Lembrança
Dário Berger tem em 2022 seu máximo para buscar o governo. Ele perdeu para Mauro Mariani em 2018 duplamente. O atual presidente do MDB foi tão intransigente ao PSD como este, em Gelson Merisio, aos ulyssistas. Se fosse o senador candidato, seria outra história.


Há sonhadores que, se a Tríplice Aliança de LHS fosse mantida, Carlos Moisés não teria, na semana passada, feito uma coletiva para apresentar seu pastel de vento, Colombo e Napoleão estavam no Senado, Amin em casa, Lucas e Cris no lobby, Jorginho na Câmara e Merisio na vice.

Finalizando
Gelson Merisio está quase entregando o relatório final de receita e despesas que teria gerado na presidência e tomar direção ao Progressistas. Vai entregar o documento e sair do já fora PSD, deixando amizade e relacionamentos futuros.

Paz
Ao sair do PSD e tomar outro rumo, Gelson Merisio quer se despedir em clima de futuro. Deixando as portas abertas e seguir em busca de um novo traçado que, se der certo, tem um coirmão. Para criar a luz perdida em 2018, tem que trabalhar triplo. Até porque, agora, tem Júlio Garcia e JR no jogo.

Retorno
Com a decisão de Gilmar Mendes em possivelmente devolver a João Rodrigues o mandato, se de fato fazer valer sua volta ao Congresso, ele se torna, com apoio de Júlio Garcia, o nome ideal para disputar o governo de SC. Mais um muro para Gelson Merisio.

Traçado
Caso esta leitura esteja certa, isto é, JR mantendo o direito de disputar eleições, poderia já correr SC e construir sua ida ao governo com Júlio Garcia ao Senado. O atual presidente da Alesc, que quer a majoritária, já observa-se nela.

Fato
Mesmo que não volte ao Congresso, mas tenha os direitos políticos garantidos, JR é outro desafio de Gelson Merisio rumo a 2022. Antes à mesa, são desafetos. O marido de Fabiane Rodrigues tem o ex-presidente da Alesc atravessado na garganta.

GMs
O festejo feito pelo ato de Gilmar Mendes a seu favor, deu nova luz às disputas futuras. Volta ao Congresso ou retorno dos direitos políticos, deu a JR novo fôlego que, para ele, teve seu calvário iniciado em Gelson Merisio. Iniciais do bem e do mau.

Confiança
Eron Giordani é o quadro responsável pleno pelo desenho de João Rodrigues ao desmanchar o nó antes desacreditado. Com quase tudo sendo revertido, o chefe de gabinete de Júlio Garcia vai a estadual com ambos na majoritária.

Mudou
Milton Sander desapareceu, mas a tese dita que política não tem ponto final, ficou presente. A reviravolta no caso João Rodrigues, se seguir na direção demonstrada, põe todos no jogo sucessório de 2022 e em guerra. E já inicia em 2020 em Chapecó.

Fervendo
Eron já desenha o processo eleitoral de 2020 longe de Chapecó. Se dias atrás levou toda a bancada de oposição ao governo de Gigante Buligon para almoçar na Capital com Júlio Garcia, pintando o quadro, é também lá que constrói o nome da sucessão.

Abertura
Altair Silva vai demonstrar o gesto recebido quando foi suplente, por três vezes, e teve atenção da bancada do partido para assumir a Alesc. Em outubro, o aceno vai para Silvio Dreveck permanecendo por 60 dias. É o reverso. Coisas da política.

Sensibilidade
O Progressista tem estudado manter Silvio Dreveck à frente da presidência do partido. A convenção de agosto, se houver disputa, teria um estrago desnecessário. O nome do ex-presidente da Alesc cai como colírio para suavizar a visão de 2020.

Desejo
Para que o partido reconheça esta leitura, Silvio Dreveck teria que manifestar seu desejo de seguir no comando. O ex-deputado e ex-presidente da Alesc, arrancado pelo terremoto do ano passado, para olhar 2022, precisa do cargo para redesenhar a volta.

Apertou

Devido ao feriadão de Páscoa, Daniel Freitas vai se concentrar em Brasília para se dedicar plenamente nas discussões da Nova Previdência. Titular da CCJ, terá encontro com Rogério Marinho, secretário Especial da Previdência e, por isso, impedido de participar do encontro da bancada do Sul na Alesc.

Responsabilidade

Atuando firme e forte nos debates primários da Casa, Daniel Freitas busca priorizar o mandato para constituir um novo rumo ao país. Evitando faltas administrativas e se concentrando nos trabalhos, foi ele quem trouxe Marcos Pontes e já tem o OK de Sérgio Moro em Criciúma novamente. Não abandonou a Amurel, Amrec ou Amesc porque, fato, tem feito mandato.



Sicoob 2018 - Home

Avenida Plínio Arlindo De Nês, 1105, Sala 202 - Centro
Xaxim - Santa Catarina
CEP: 89825-000
redacao@lenoticias.com.br
(49) 3353-5210
(49) 99997-9025