Close Menu

Busque por Palavra Chave

Caroline De Toni 2020; Marcio Sander ficha limpa; MDB uniu-se sem Dário; Krelling é a aposta; Joares Ponticelli dono de si

Por: Marcos Schettini
09/07/2019 12:17 - Atualizado em 09/07/2019 12:21
Tamanho da fonte: A A

Ponticelli vai para onde quiser

Presidente do Progressista, da Alesc e prefeito pelo partido de Esperidião Amin, o atual prefeito de Tubarão sabe que ser ex em tudo dentro de uma sigla cuja luz deu-lhe os mandatos que desfruta, não é uma tarefa fácil rasgar a filiação e sair rumo a um traçado novo. À medida que tem um nome consagrado em todas as regiões do Estado, sua militância foi o motor deste alcance. Em sua história, as marcas da coragem de disputar para vice-governador que, por um triz, não foi para o turno seguinte. Naquele momento, Raimundo Colombo havia garantido o Fundam que afundam em 2018 e deu ao então governador o novo mandato. O professor de Matemática nascido em Pouso Redondo chegou à Cadeira tubaronense porque é destemido. Foi lhe dado uma ida garantida ao Tribunal de Contas de SC, mas declinou desta oportunidade porque via-se menor e desencorajado. Como não é um nem outro, foi para as urnas em 2014 ao lado de Paulo Bauer. Se Carlos Moisés quer ele no PSL, pode ir tranquilo. Para onde for, leva o PDS junto. Quem bebeu daquela água, não sai da bica.


Fora

Caroline De Toni deverá ficar fora do processo eleitoral do ano que vem. Se isso ocorrer, vai frustrar seus eleitores que observam nela a oportunidade de uma jovem promessa que, por ter os governos federal e estadual, tem chão livre.

Laços

A parlamentar do PSL não tem obrigação nenhuma de disputar, mas ficando fora das urnas de 2019, pode colher os erros de uma decisão equivocada. A deputada federal tem tudo para ser bem sucedida se, costurando já, produzir acertos.

Bobagem

O pessoal do PSD tem medo que Caroline De Toni dispute a eleição porque dividiria os votos. O eleitor sabe quem ele quer. 2018 mostrou muito bem suas intenções. Eleição é para todos. E acordos por trás das cortinas, não funciona mais.

Certíssimo

Marcio Sander abriu mão duas vezes da majoritária e, destemido, vai colocar seu nome na cabeça de chapa. Entendeu que seus gestos foram em vão e sem sentido. Percebe-se necessário, amadurecido, ficha limpa e preparado para o projeto. Sem enganos.

Eleitor

As redes sociais vão pesar forte no debate do ano que vem. Não sendo uma eleição estadualizada ou nacional, todos se conhecem nos municípios. As chamadas fake news serão imediatamente combatidas porque, no local, é mais fácil.

Mentiras

Os candidatos sabem quem é verdadeiro e, se tiver vida suspeita, melhor não se colocar no jogo. O eleitor vai acompanhar de perto o pleito porque conhece quem é quem. Não adianta inventar fatos. Até porque o juiz eleitoral está de olho aberto.

Renovação

O encontro dos prefeitos do MDB no último final de semana em Curitibanos, mostrou o partido sendo, aos poucos, organizado para o embate. Celso Maldaner foi o maestro para afinar os instrumentos. O evento foi alto e enterrou o passado, de olho nas urnas.

Ator

A voz do prefeito de Jaraguá do Sul foi forte no evento dos ulyssistas. Antídio Lunelli mandou firme quando falou das dificuldades dos prefeitos aos deputados federais e estaduais. Embora Dário Berger não tenha ido, soube do grito do jaguaraense por recursos.


Unidade

A ida de Carlos Chiodini ao encontro em Curitibanos, mostra que a disputa pelo controle do MDB em 1° de junho, entre Maldaner e Berger, é passado. O deputado federal olha os desafios do partido acima do duelo de colheres. Se os ulyssistas saírem menores, foi-se.

Clareou

Fernando Krelling foi a Curitibanos com a altura da responsabilidade eleitoral de 2020. O deputado estadual é um quadro rico de juventude e popularidade. Se tem atrás de si a impopularidade do atual prefeito de Joinville, sua educação, atenção e simplicidade afasta tudo.

Ele

José Antonio Guidi recebeu os prefeitos do MDB com pompa do tamanho do maior partido de SC. A presença de Udo Döhler enriqueceu o evento e deu direcionamento para 2020. Como Berger não compareceu, ficou claro em quem o prefeito de Joinville votou na convenção de junho.

Carimbado

Gean Loureiro saiu do MDB, mas o número do partido nem tanto. Os últimos dois celulares do prefeito de Florianópolis terminam com a sagrada dezena que deu-lhe a vitória sobre Angela Amin em 2016. Fábio Veiga vai dissolver esta lembrança com uma campanha superlativa.



Sicoob 2018 - Home
Brasão
Flic - Sâo Lourenço do Oeste

Avenida Plínio Arlindo De Nês, 1105, Sala 202 - Centro
Xaxim - Santa Catarina
CEP: 89825-000
redacao@lenoticias.com.br
(49) 3353-5210
(49) 99997-9025