Close Menu

Busque por Palavra Chave

AI-5 e tropeço da esquerda; Bolsonaro está certo; Extremismo é sem volta; A direita é um exército; A oposição colhe o que plantou

Por: Marcos Schettini
05/11/2019 01:47
Tamanho da fonte: A A

O fim justifica os meios

Jair Bolsonaro está certíssimo em, se precisar, impor a força pelo AI-5. Se quando estava fora do poder, defendia, quando chegou nele, tem que usar o que a Cadeira lhe oferece. A esquerda passou por lá e pensou que fazendo o café com leite que mostrou o tempo todo, não sofreria impeachment e seria eliminada do controle da nação. Se os militares, os liberais chamados de fascistas, querem a degola dos líderes de esquerda, tem que fazer acontecer. Se querem destruir o STF, fechar o Congresso e colocar no paredão instituições que são contra suas ideias, então é o momento ideal. O erro da direita será em armar a população, uma bandeira defendida pelo inquilino do Palácio do Planalto. Se a economia der a hemorragia que o modelo chileno não conseguiu estancar, a massa armada pela vontade do presidente, vai definir seu lado pelo grito do estômago. Um exército com fome, triplica a ira e cega suas intenções. Aí, neste momento, a oposição pode voltar. Hoje, como se encontra, vai ter que aguardar o resultado da próxima eleição. Uma questão política, define a econômica.


Real

Jorge Bornhausen é aquele quadro político que não corrói a palavra e, quando fala, acerta. Sempre defendeu o nome de Geraldo Alckmin para presidente e soube que o movimento para levar Jair Bolsonaro a presidente, significava exatamente o que hoje se observa.

Sonhos

Quando Eduardo Bolsonaro afirma que o AI-5 pode chegar no Brasil se os efeitos do Chile pisar onde seu pai governa, aquele momento pode reaparecer. Pior que em SC parece que foi aceito o desafio. Nenhum dos quadros revidou o 03. Jair Bolsonaro disse que isso é um sonho. Sonho que se sonha junto, é o começo da realidade.

Certo

Quando JKB disse que se estivesse no Senado votaria contra a ida de Eduardo para a Embaixada nos EUA, também todos ficaram calados. Quando o pai de Paulinho disse que ele deveria ir para a inútil Embaixada das Bahamas, já sabia que o rapaz era uma promoção falsa. À toa não foi que ruiu a intenção.

Quietos

Ao pedir desculpas para afirmar um desejo que o pai diz que é um sonho, Eduardo Bolsonaro não fala só. A impressão que dá é aquela em que ele é utilizado para tirar o termômetro quando diz. Se der certo avança, dando errado, volta. Enquanto isso silêncio.

Tempos

O PT aguarda o desfecho do que vai ocorrer com a possível soltura de Lula da Silva para definir os rumos para 2020. A militância comemora os torpedos verbais dentro e fora do PSL para dizer aonde vai. Os quadros já afirmam que este período entre a eleição e a outra, vai desenhar o retorno.

Força

Paulo Guedes vai movimentar a economia com uma série de iniciativas que quer implantar para o futuro. Deles, quebrar a estabilidade no emprego. O governo de qualquer instância, vai poder tirar o funcionário que é julgado um servidor ruim. Um vespeiro que precisa ser eliminado.

Elite

Servidor público gosta da proteção Constitucional para dar abrigo ao cargo que exerce. Quando passar a ser como o trabalhador da rede privada, vai repensar. Neste caso, se a sociedade for consultada, a estabilidade no emprego é derrubada instantaneamente.

Competência

Ser servidor público é uma missão de altíssimo nível. Mas não pode estar acima de quem paga seus salários. O ministro da Economia afirmou o que faria bem antes da eleição. Está cumprindo à risca o que disse. O Brasil, no final deste governo, será outro.

Pulso

Paulo Guedes chega deixando quem gosta de chegar chutando tudo, fazer o que ele não faz. Quando o deputado jogou a Carta Magna na privada, é exatamente o que o ministro precisa para dizer o rumo que vai adotar. No governo Bolsonaro, todos jogam na mesma direção.

Domínio

Nenhum ministro do governo joga fora da linha do que Bolsonaro pensa. Se isso ocorrer, ele tira sem piscar. Isso quer dizer que, quem votou no atual governo, tem que aplaudir o que tem feito. Se o Brasil piorar ou melhorar, quem vai dizer é o tempo. Mesmo que o Chile avizinhe-se.

Vai

Brasil, ame ou deixe-o, começa a tomar as dimensões do passado. As movimentações do governo são ditas de cima para baixo. Bem ao contrário da esquerda que gosta de fazer consulta para determinar suas ações. Bolsonaro está certo. Se foi eleito, tem aval.

Fora

Quem não está contente com o Brasil que o atual governo está desenhando deve, ou bater de frente e mostrar força, mesmo sob aviso de AI-5 ou vá embora. Não há clima de amor inocente neste jogo. Ou se é de um lado, ou está identificado do outro. Está radicalização não tem volta.

Calada

A esquerda e aquele patético Stédile, com cara de mau, se escondeu quando Lula da Silva foi preso. Blefou quando disse que iria invadir terra e mobilizar o MST. Nada disso, ninguém mais ouviu falar. Oportunista como muitos, é um falastrão que se assusta no primeiro latido.

Acuada

A esquerda não é nada sem Lula da Silva. Ele, de onde está, nas grades da Polícia Federal, mexe forte o tabuleiro. É um líder incontestável e que a direita vê como perigoso. Tem poder de massas e quando abre a voz, é escutado. O líder do MST é um guaipeca assustado escondido atrás de sua covardia.

Bala

Se Stédile colocar qualquer pé seu em uma terra no governo Bolsonaro, deita para sempre. Tem sorte de estar por aí. Seu grupo minguou, não tem força nenhuma e viveu forte no governo onde se identificava. Enquanto seus peões estão nas lonas pretas, ele viaja o mundo a custa deles.

Merecido

O que as esquerdas vivem hoje é exatamente o que conseguiram desenhar para o futuro. Os invasores na ótica bolsonarista, porreiros na visão lulista, se opõem sem reconciliação. São acusados de tudo e não tem como reafirmar ao contrário. Se não tiveram ousadia, direita tem.

Realidade

A esquerda não consegue aceitar a derrota eleitoral do ano passado assim como a direita não aceitava suas vitórias. Como este ciclo é como uma roda, a direita está apenas levantando levemente sua ascensão. Não vai ser fácil para a oposição retomar o controle. Ficaram enferrujados.

Discursinhos

A ultradireita está se mexendo porque a esquerda não tem a mesma habilidade. Entenderam que o poder é para sempre e não conseguiram desenhar o confronto que nunca pensaram. Acusados de comunistas, estão ganhando a pecha novamente de que comem criancinha. E vai piorar.

Certeza

Se Paulo Guedes conseguir imprimir o que ele pensou e aprendeu na escola de Chicago, dar ao Brasil outra roupagem que não aquela que a esquerda imaginou nunca ser estrelada, vai ser difícil que voltem ao poder. Mesmo que os países identificados com suas ideias estejam na fronteira.

Perdidos

Lula da Silva é o único líder que a esquerda tem para olhar um retorno. A direita tem um coletivo grandioso de quadros que estão disponíveis para, se mantiveram cerrados os interesses, ficarem no poder o tempo que acharem necessário. Não somente tem força nos Estados, ganhou altura no Congresso.





Sicoob 2018 - Home
Brasão
Vederti Chapecó
Alesc - Sua Causa

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plíno Arlindo Nês, 1105, Sala, 202, Centro