Close Menu

Busque por Palavra Chave

Luciano Buligon vive momento de glória ao ser prefeito dos 100 anos

Por: LÊ NOTÍCIAS
25/08/2017 10:21

Luciano José Buligon, de 47 anos, nasceu em 26 de janeiro de 1970 em Tenente Portela (RS). Munícipe de Chapecó há mais de três décadas, é filiado ao PSB desde 2015, casado com Lucia Leonilda Muller Buligon e pai da Isabella, Camila e Hulian. Formado em Direito pela Universidade da Região da Campanha (Urcamp) em Bagé, no Rio Grande do Sul, atuou como advogado e professor universitário. Pós-graduado em Direito Constitucional, foi procurador nos municípios de Quilombo, Cordilheira Alta e Chapecó, além de atuar como assessor jurídico da Associação das Câmaras Municipais do Oeste de Santa Catarina (Acamosc).

Buligon foi também secretário de Estado de Desenvolvimento Regional de Chapecó; suplente de deputado estadual; secretário de Articulação Institucional de Chapecó; de Desenvolvimento Urbano de Chapecó; e de Coordenação de Governo e Gestão do Município. Neste período, esteve à frente de importantes projetos e ações para o município, como o Plano Diretor de Chapecó, Plano de Mobilidade Urbana, Código de Obras e Posturas, Plano de Resíduos Sólidos e também o Planejamento e Orçamento Democráticos. Em 2016, foi eleito presidente da Comissão de Relacionamento com Autoridades Locais da União de Parlamentares Sul Americanos e do Mercosul (UPM). No dia 15 de agosto de 2017, recebeu na Assembleia Legislativa de Santa Catarina, através do deputado Altair Silva, o Título de Cidadão Catarinense, pelos relevantes serviços prestados ao Estado.

A tragédia com a Chapecoense, em 29 de novembro do ano passado, fez com que Buligon ficasse conhecido em todo o mundo pela personalidade forte, prestativa e cativante. Mais recentemente, pelo exemplo de bondade e patriotismo, Buligon foi convidado pelo prefeito de Hiroshima, Matsui Kazumi, a aderir à Rede de Prefeitos pela Paz, organização não governamental, registrada no Conselho Econômico e Social das Nações Unidas em 1991, para difundir ações de paz e uma vida pacífica aos cidadãos. Hoje, 7.285 municípios de 162 países integram a Rede “Prefeitos pela Paz”.

Em entrevista concedida ao LÊ NOTÍCIAS, Buligon contou em detalhes os momentos vividos no tempo com o caso da Chapecoense, que foi a maior tragédia esportiva da história. “Chapecó recebeu solidariedade do mundo, os times do São Paulo, Santos, Corinthians e Palmeiras demonstram profundo respeito pelas vítimas do acidente. Tanto, que o site do Corinthians foi pintado de verde, mesmo com a rivalidade entre Palmeiras e Corinthians. Além disso, a Torre Eiffel foi iluminada com as cores da Chapecoense, e houve manifestações no Japão, China e países árabes, no mundo todo,” lembra.

Para o prefeito, o momento da tragédia foi muito doloroso. Ele contou que estava muito feliz pelo clube ter se classificado para a Copa Sulamericana, mas após desencontros em São Paulo, ele não pôde embarcar para Medellín. Ele e o presidente da Chapecoense, Plínio David de Nês Filho permaneceram no Brasil, para viajar no dia seguinte. Todo o roteiro estava programado, quando às três horas da manhã, ele recebeu a notícia do pouso forçado. A preocupação de Buligon eram os médicos para resgatar os sobreviventes, onde sete se colocaram à disposição. Ficando cerca de 42 horas sem dormir, Luciano acompanhou tudo até a volta, no dia 1º de dezembro, quando permaneceu 14 horas e meia dentro de um avião de guerra, da FAB. Na entrevista, ele demonstrou o profundo respeito por Medellín, pelo povo colombiano, que apoiou Chapecó num momento tão difícil.

Em obras, ele conta que o Contorno Viário Leste está sendo discutido pelos empresários de Chapecó, já que é uma reinvindicação antiga e ligará BR-282 a SC-480. Após anos de reinvindicação, foram entregues as primeiras escrituras públicas no Goio-Ên, na manhã do dia 25 de agosto, quando Chapecó se tornou Capital do Estado por um dia. “Também haverá a entrega do Monumento do Centenário e a inauguração do Radar Meteorológico, que vai ajudar a prevenir catástrofes naturais. O radar é de tecnologia alemã e norte-americana. À noite teremos a queima de fogos, comemorando os cem anos de Chapecó”, conta, relatando o dia de festividades.

Após as festividades do centenário de Chapecó, Buligon irá a Roma para receber as bênçãos do Papa Francisco no Vaticano, onde também se reunirá com a prefeita de Roma e o prefeito do Vaticano, além do Comitê Olímpico Internacional. Também haverá a Efapi, entre os dias 6 a 15 de outubro, que completa cinquenta anos em 2017, a qual será mostrada a força do agronegócio chapecoense que, segundo Buligon, gira cerca de 90% da economia de Chapecó.


Outras Notícias
Sicoob - Home

Avenida Plínio Arlindo De Nês, 1105, Sala 202 - Centro
Xaxim - Santa Catarina
CEP: 89825-000
redacao@lenoticias.com.br
(49) 3353-5210
(49) 99997-9025