Close Menu

Busque por Palavra Chave

Alesc - Sua Causa 2

EXCLUSIVO

“Amputa o corpo e deixa o dedo, assim está o Brasil”, diz Bolsonaro em entrevista ao LÊ NOTÍCIAS

Por: LÊ NOTÍCIAS
12/04/2018 11:58 - Atualizado em 12/04/2018 12:12
Bolsonaro concedeu entrevista ao jornalista Schettini nesta semana, em Brasília (Foto: RPM/Divulgação/LÊ) Bolsonaro concedeu entrevista ao jornalista Schettini nesta semana, em Brasília (Foto: RPM/Divulgação/LÊ)

Em entrevista exclusiva concedida ao jornalista Marcos Schettini, em Brasília (DF), o deputado federal e pré-candidato a Presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL), se manifestou sobre as expectativas sem Lula, das coligações em Santa Catarina, da importância em armar o cidadão e sobre o confronto entre grupos do PT e Bolsonaro, em Chapecó, recentemente. Confira:

Marcos Schettini: Santa Catarina tem dado uma resposta positiva em nome de Jair Bolsonaro. Qual a grande expectativa agora sem Lula da Silva no páreo?

Jair Bolsonaro: Acima de tudo, temos um compromisso com a verdade. Por todo o Brasil, temos boas pessoas que comungam conosco nas mesmas ideias, e no caso de Santa Catarina, temos o deputado Peninha, que defende o Estatuto do Desarmamento. Então, trabalhando desta maneira, buscando, realmente, não conquistar o eleitor com palavras, possivelmente bonitas, mas com algo de concreto, com objetivo e verdade. Por isso, nos últimos três anos temos crescido, e hoje em dia passamos a ser uma opção real. Eu costumo dizer, se essa for à vontade de Deus, estamos prontos para cumprir essa missão. Tenho uma gratidão muito grande por Santa Catarina, que foi o primeiro Estado a me dar o primeiro lugar na pesquisa, inclusive em frente ao então candidato Lula.

Schettini: Qual é a coligação para fortalecer seu palanque em Santa Catarina?

Bolsonaro: Eu deleguei aos respectivos presidentes estaduais, parte deles, para decidir com quem vai haver coligação ou não. Eles já sabem, não temos conversa com PT, PCdoB e PSOL, o restante estamos prontos para sentar e conversar. O interesse do Estado, estando acima de tudo, que em Santa Catarina é representado pelo presidente Lucas Esmeraldino, que vai conduzir essa questão de coligação, para fortalecer a base também no Senado, Câmara Federal e na Assembleia Legislativa.

Schettini: Há alguns dias, tivemos um enfrentamento entre grupos do PT e Bolsonaro, em Chapecó. Esta animosidade é normal?

Bolsonaro: A imprensa tem rotulado que quem está à oposição ao Lula é o meu grupo. Tem gente que está comigo sim, e é o direito que eles têm em se manifestar. Mas tem pessoas que integram outros partidos, com outras bandeiras, mas isso é liberdade de expressão. Tudo que for ao tocante a voz, bandeiras, faixas e cartazes, é mais do que justo e o povo vai se manifestar, dando uma demonstração que de não quer mais o populismo e não quer mais flertar com o comunismo, como o PT sempre fez ao longo da sua história.

Schettini: Armar todo mundo. Esse é o caminho?

Bolsonaro: A bandidagem já está toda armada, essa é a minha preocupação. Um Estado que desarma um cidadão de bem e mantém os bandidos armados, é um Estado irresponsável, que tem outros interesses, e não podemos concordar com isso. A questão da posse da arma de fogo dentro da sua casa, chácara, apartamento, fazenda, é uma coisa que devemos facilitar. No tocante ao porte de arma de fogo, aí temos que dar certa selecionada, pois não queremos todo mundo andando na rua com uma pistola na cintura.Se bem que no meu Estado, o Rio de Janeiro, coisa mais comum não é ver o bandido com uma pistola na cintura, mas sim com um fuzil H4 no peito. Por isso o cidadão de bem deve ter sua arma para manter a integridade de sua família.

Schettini: Caso seja eleito, qual o primeiro ato que será realizado pelo senhor?

Bolsonaro: Não tem primeiro ato. O Brasil está na situação do doente, de quando vai para mesa de operação, o médico deixa o dedo e amputa o corpo. Então temos muita coisa para ser vista. Se nós conseguirmos desburocratizar, desregulamentar, facilitar a vida de quem quer empreender, de forma direta, vamos contribuir com a questão da Segurança Pública. Uma pessoa empregada, a princípio não está na rua, de cabeça quente e não está pensando em fazer besteira. Vai estar dentro de casa, se preparando para trabalhar no dia seguinte. Isso tudo são medidas que com comitantemente, por ocasião, de quem, por ventura, assumir a Presidência da República no ano que vem, devem ser tomadas para nós desafogarmos os vários setores da sociedade, para que todos possam ter uma vida melhor aqui, com mais tranquilidade, segurança, educação e tantas outras coisas. O Brasil está precisando de um choque de realidade e ela virá com a verdade e com medidas adotadas para visar atender o interesse da população, e não de classes políticas.

Schettini: Quem é o vice ideal para Jair Bolsonaro?

Bolsonaro: É aquele que possa somar, que tenha um pensamento semelhante ao nosso. Eu não posso ter uma pessoa que pensa diferente lá dentro. Não interessa se vai ser homem ou mulher, se for de Santa Catarina, Rio Grande do Sul ou do Ceará. Deve ser uma pessoa com comprometimento com o Brasil, acima de tudo, essa é a nossa intenção. Uma pessoa que seja patriota e tenha Deus no coração, isso eu não abro mão.



O presidenciável Jair Bolsonaro manda um abraço aos moradores de Xaxim. Confira:

“Olá amigos de Xaxim. Estou aqui com o Schettini ao meu lado, também aqui o querido Peninha, o homem que é um grande batalhador pelo fim do Estatuto do Desarmamento, aquele que quer dar o direito de legítima defesa a vocês. Então quero, em nome destas duas personalidades, mandar um grande abraço a todos vocês e dizer que sou muito grato a Santa Catarina, que é o Estado que me deu pela primeira vez o primeiro lugar entre todos Estados do Brasil, mesmo com Lula disputando a eleição e dizer que vocês moram no meu coração. Santa Catarina, estamos juntos. Um grande abraço a todos vocês. Valeu, Schettini. Valeu, Peninha!”


O presidenciável Jair Bolsonaro manda um abraço aos moradores de Chapecó. Confira:

“Olá amigos de Chapecó, Santa Catarina. Jair Bolsonaro. Estou tendo o prazer de estar ao meu lado aqui, o Schettini, e meu amigo deputado federal Rogério Peninha. Em nome deles, mandar um abraço a todos vocês. Sei que nós acreditamos no futuro do Brasil, não teremos a oportunidade de mudar o Brasil, que não seja essa pela ocasião das eleições agora em outubro. Costumo dizer, nós temos que eleger esse ano, um bom presidente, seja homem ou mulher. Mas que seja honesto, que seja patriota e que tenha Deus no coração. O Brasil tem tudo para ser uma grande nação. Santa Catarina foi o primeiro estado que me deu o primeiro lugar nas pesquisas. Então tenho um carinho muito especial por Santa Catarina. Tá OK, Schettini. Tá OK, Peninha!”


Outras Notícias
Brasão

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plíno Arlindo Nês, 1105, Sala, 202, Centro