Close Menu

Busque por Palavra Chave

Alesc - Sua Causa 2

OPERAÇÃO ARRITMIA

Polícia Federal investiga fraudes ao SUS no HRSP em Xanxerê

Por: LÊ NOTÍCIAS
24/09/2019 15:02 - Atualizado em 24/09/2019 15:07
Aline Tonello/Tudo Sobre Xanxerê Operação Arritmia envolve mais de 40 policiais federais que cumpriram nove mandados de busca e apreensão em Xanxerê e Florianópolis Operação Arritmia envolve mais de 40 policiais federais que cumpriram nove mandados de busca e apreensão em Xanxerê e Florianópolis

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta terça-feira (24), a Operação Arritmia, que investiga grupo criminoso organizado para fraudar os cofres públicos mediante a utilização de verbas do Sistema Único de Saúde (SUS) destinadas à aquisição de próteses cardíacas.

As investigações apontam indícios de que os fornecedores das próteses eram escolhidos por médico e diretores do hospital de acordo com os benefícios pessoais que lhes eram proporcionados, que consistiam no recebimento de valores em dinheiro, no patrocínio de viagens e/ou formalização de contratos fictícios de prestação de serviços de consultoria, utilizados para dissimular os pagamentos ilícitos.

Constatou-se, durante as investigações, que o médico responsável pela Cardiologia do Hospital Regional São Paulo (HRSP) escolhia as empresas fornecedoras das próteses cardíacas e teria recebido, irregularmente, mais de 4,2 milhões de reais entre os anos de 2014 e 2019.

Há, ainda, indícios de que a fila de cirurgias do SUS estaria sendo fraudada pelos envolvidos.

Foram cumpridos mandados de busca e apreensão no HRSP, consultórios médicos, empresas envolvidas e residências dos investigados, sendo sete em Xanxerê e dois em Florianópolis, com a participação de 46 policiais federais e o apoio 05 servidores da Controladoria Geral da União.

A investigação começou em março de 2018 no Ministério Público Federal (MPF) em Chapecó, a partir de denúncias de irregularidades envolvendo a aquisição de órteses e próteses para utilização em pacientes do SUS no Hospital Regional São Paulo, de Xanxerê. Diligências iniciais realizadas pelo MPF confirmaram os fatos noticiados, resultando na instauração de inquérito pela Polícia Federal.

Nos autos do inquérito policial, instaurado para investigar os fatos, os envolvidos poderão ser indiciados pelos crimes de associação criminosa, falsidade ideológica, peculato, organização criminosa e lavagem de dinheiro, além de outros delitos que venha a ser identificados no decorrer da investigação.

CONTRAPONTO

O Hospital Regional São Paulo emitiu uma nota sobre a operação realizada. Conforme a nota, a direção do HRSP se disse estar tranquila e que irá colaborar com a investigação desde o início.

Confira a nota na íntegra:

O Hospital Regional São Paulo (HRSP), vem a público se manifestar diante da Operação Arritmia, que ocorre na manhã desta terça-feira (24), onde a Polícia Federal, no cumprimento regular do seu dever, realizou a coleta de informações e documentos junto a instituição. A direção do HRSP está tranquila e informa que colabora, desde o início da operação, com o trabalho da polícia, com o intuito de que sejam apurados os fatos da denúncia o mais breve possível. Reforçamos à toda a população que os trabalhos de assistência à saúde não serão afetados e seguem regularmente.

Outras Notícias
Brasão

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plíno Arlindo Nês, 1105, Sala, 202, Centro