Close Menu

Busque por Palavra Chave

A Arte do Ser | Saúde Mental

Por: Xenna Gheno
15/03/2019 15:44 - Atualizado em 15/03/2019 16:09
Tamanho da fonte: A A

Saúde: estado de equilíbrio dinâmico entre o organismo e seu ambiente, o qual mantém as características estruturais e funcionais do organismo dentro dos limites normais para sua forma de vida e para a sua fase do ciclo vital.

Mente: parte incorpórea, inteligente ou sensível do ser humano; espírito, pensamento, entendimento.

Ou:

Energia física que relaciona a memória com a capacidade de aprender, gerir e responder a um tema, a um acto fisico, ao incompreensível e ao omisso sábio.

Ou para Geshe Kelsang Gyatso:

A mente é um continuum sem forma, que tem como função perceber e entender os objetos. Sendo, por natureza, algo sem forma, ou não corpóreo, ela não pode ser obstruída por objetos físicos.

Sempre é bom definirmos para tentarmos entender do que tratamos quando falamos algo. Saúde mental, por exemplo, é algo que vem chamando nossa atenção, pois estamos nos dando em conta da importância que isso tem para nós e nossa sociedade.

Antigamente, nos tempos de nossos bisavôs, tínhamos muitas atividades e pouco acesso a informação. Fazíamos nossas roupas, casas, comidas, basicamente o dia todo eram repletos de atividade onde estávamos presentes na ação. Essa forma de viver, apesar de muitas vezes ser difícil, era para saúde mental algo extraordinário, pois além dessa práticas quase que meditativas como plantar, colher, cozinhar a um tom harmônico com a tranquilidade natureza, faz com que a mente se acalme e trabalhe a favor do ser.

Hoje vivemos o oposto, temos uma sociedade farta, e tudo materialmente pronto e entregue, o volume de informação e a velocidade com que ela chega supera nossa capacidade humana de entendimento. Somam esses fatores: a falta de atividade energética produtiva com a identificação do nosso ser, com a informação além da compreensão e uma velocidade diária sufocante não teria como termos outro resultado que não uma péssima saúde mental. Estamos estressados, depressivos, ansiosos, desatentos. Estamos duelando internamente e externamente o tempo todo o que nos foge do equilíbrio, ou seja, sem saúde.

E por que nós sujeitamos a viver assim?

Primeiro porque não temos consciência disso. Estamos seguindo o estouro da boiada sem perguntar por quê. Não temos tempo de refletir, pois fomos envenenados com falsas propagandas de felicidade e perfeição e, para alimentar essas falsas propagandas, entramos em um teatro social tóxico, onde projetamos algo que não somos e passamos a temer todo nosso essencial. Ligamos nossa vitalidade ao dinheiro e esquecemos que a energia vital prove de outro lugar. Deveríamos olhar o dinheiro como troca, mas como o tornamos mais poderoso que nós mesmos, hoje quem nos controla é o fluxo econômico desenfreado sempre em colapso, nos causando medo e preocupação de faltar, de ser menos. Ligamos nossa existência ao ter e sem perceber saímos completamente de rumo, fluindo a manada controlada por medo, ego e vaidade, mesmo isso sendo tóxico para nós.

Agora que temos consciência que o tom que estamos fazendo socialmente e internamente é tóxico, devemos buscar primeiro nos desintoxicar, se acalmar, respirar, se perdoar, sair da falsa propaganda de felicidade e perfeição, entender a simplicidade, harmonizar com um tom menos acelerado, voltar a sentir a energia vital e assim começamos a nos aproximar da saúde. O corpo também é importantíssimo para a mente, pois a fluidez energética precisa de movimento. Entrando nesse assunto fica o alerta para a importância da integralidade nas áreas da saúde, médicos, psicólogos, terapeutas holísticos, educadores físicos, nutricionista e todos os demais devem compreender, sentir e fortalecer seu juramento a ética e, mais que ajudar as pessoas em um processo de cura, é mudar a sociedade e a área da saúde a saírem desse tom que entraram. Um tom antiético, acelerado e competitivo sem compromisso com a paz e bem-estar.

E a saúde mental está ligada a paz, ao equilíbrio e ausência de conflitos e se não pararmos para sermos conscientes com o que está acontecendo, vamos continuar nos destruindo internamente e, como sociedade, controlados por algo não vital, não real, que afeta nossa mente a um tom tóxico e descontrolado.

Se não se sente bem e em paz, não perca tempo arrastando a sua vida valiosa a um tom desagradável, busque profissionais para te ajudar, a forma como você leva a vida faz toda a diferença. Seja feliz, tenha uma vida em paz e com saúde, não troque isso por nada que o mundano possa oferecer.


Sicoob 2018 - Home
Brasão
Alesc - 1

Avenida Plínio Arlindo De Nês, 1105, Sala 202 - Centro
Xaxim - Santa Catarina
CEP: 89825-000
redacao@lenoticias.com.br
(49) 3353-5210
(49) 99997-9025