Close Menu

Busque por Palavra Chave

A linda Musa Pacotaço da Silva; A Alesc é ela mesma; Palavra furada não cria; Mortos deputados; Caio Tokarski fora do PL?; Eron Giordani de todos

Por: Marcos Schettini
22/12/2021 11:07
Tamanho da fonte: A A
Secom

O que é, não tem não ser

A saída do jogo sucessório estadual por parte de João Rodrigues, era conhecida. O prefeito de Chapecó não tem como abandonar a Capital do Oeste e, no calor da disputa, ver corroer suas conquistas com possibilidade clara de Lula da Silva vencer em seu terreno. Ele precisa fazer Jair Bolsonaro, o motoneta, sair na frente. Suas afirmações de abandono da disputa em 2022, coloca Eron Giordani imediatamente na majoritária. A desincompatibilização vai dizer tudo. Vão dizer que o filho de Edegar Giordani não pode assumir esta posição eleitoral porque será o coordenador de tudo e, por isso, se assumir posição ao lado de Carlos Moisés, fragiliza o campo de guerra. Tem sentido, mas não no todo. Juliano Chiodelli e Carlos Eduardo Mamute têm competência para dar seguimento às pautas e coroar o entrosamento visto. Que a disputa precisa do pulso de Eron, não há dúvidas. A maioria absoluta dos prefeitos, vices, empresários e presidentes de partidos confiam em Julio Garcia e Eron nesta construção. Também vão afirmar que a ala militar no governo é ciumenta e não aceita civis sobre suas fardas. Também outra bobagem. O filho da dona Salete Giordani tem simpatia e grandeza de conquistas. Ali, todos, sem exceção, gostam de estar ao seu lado. O filho de Faxinal dos Guedes é a nata de consumo de todos eles. É o espírito vivo de Julio Garcia. O marido da Késia já assimilou isso.


FORÇA

A bancada formada depois da salvação do impeachment, é total. Eles são articulados e com poder pleno de alcances de resultados. Por isso, o placar favorável a Carlos Moisés é tão fortemente demonstrado na Alesc. Queriam que fosse como?


COSTURADO

A oposição é formada por derrotados em todas as direções. E vê-se em um calvário longo até outubro de 2022. As assinaturas neste placar vencedor no que apelidaram de pacotaço da Alesc, saiu da Casa Civil. Eron Giordani, Juliano Chiodelli e Carlos Eduardo Mamute.


LUBRIFICADO

Quando a oposição sentiu a ponta, já tinha entrado tudo. O trio da Casa Civil é potente e prazeroso aos pares da Casa. Lá, o que Carlos Moisés quer, seja em que posição for, introduz na oposição derrotas pós outras. O placar em Musa Pacotaço da Silva, diz.


DIZ

Musa Pacotaço da Silva é uma moça jovem e desejada. Com a introdução de seus amados na votação naquela Casa, ela engravida para um parto natural em outubro. A criança nasce forte, robusta como os pais. Queriam que ela fizesse o quê? Ir no vizinho?


COITO

Os deputados são bons no que fazem e deram a Musa Pacotaço da Silva o carinho merecido naquele prazer na qual oferece, mas também recebe. Carlos Moisés da Silva tem um taco e encanta. O trio mira na caçapa e lá se vão as bolas no buraco certo.


DURO

A oposição reclama porque o taco é curtíssimo e mole. Mira e erra. As bolas são ovais. Eles ficam pegando um no outro e se manipulando para ver o efeito, mas a situação pega Musa Pacotaço da Silva em prazer total. Uns gemem baixinho, outros em prazer total.


MOLE

Não entra. Tudo começou naquele maio de 2021. Um membro vendeu sua alma ao diabo e, beijando o mestre no rosto, levou-o à 2ª Gólgota. Um traidor muito bandido que nem Mel Gibson poderia ter um ator tão competente. Agora ele está lá, enforcando-se até outubro.


PALAVRA

Caio Tokarski entrou no PL dentro de uma construção. Um aceno entre Beto Martins, Joares Ponticelli e Jorginho Mello para disputar a deputado federal. Mas Daniel Freitas, aquela aberração de Criciúma, mexe por cima e deu um chute no baço do vice de Tubarão no silêncio do senador.


CONSEQUÊNCIA

Ao entrar no PL goela abaixo, o patético Daniel Freitas agoniza. Atropela Beto Martins e Joares Ponticelli em uma mexida feita por Jair Bolsonaro via Carlos, o filho. Jorginho, amordaçado, rói a palavra sem saber o que fazer. Não se sabe o que Caio Tokarski foi fazer lá.


SOCORRO

O vice-prefeito de Tubarão tem buscas melhores que o PL. A entrada de Daniel Freitas no PL impacta na sua disputa por Brasília. O patético deputado federal e Júlia Zanatta, já estão se matando em uma carnificina verbal de cinema. Não há espaço para Caio Tokarski neste banhado de sangue.


ANOTAR

Estes judas que gostariam de estar dando prazer a Musa Pacotaço da Silva, andam pela Alesc encostados pelas paredes, sabem o tamanho do taco do trio da Casa Civil. Quando eles veem seus outros vivendo o prazer que Judas lhes tirou, sabem quem é o culpado.


CULPADO

Se Judas mora em Timbó, seu inferno respinga por toda SC. É um deputado patético, inconfiável em todos os lados. Sua vida se tornou uma lama, chorume que sai pelas barras da calça, deixando um rastro de odor que indica sua localização e direção. Portanto, satelizado.


WAZE

Todos os deputados patéticos que traíram seus pares na Casa, vão ter respostas em outubro. Não se salva um. Não porque tem base ou esquemas de retorno, mas pelo que são em falta de caráter. Serão minados, um a um, mapeados em ações desconstrutivas.


DESCONSTRUÇÃO

Aquele que vai entrar no parlamento em 2023 vai ter a primeira regra da Casa. Em qualquer uma dela, seja onde for, tem um lema na entrada onde diz “nunca descumpra a regra”. Ela é invisível, mas presente. Quem rói, cai. Todos eles.


ELES

Ser oposição é do jogo, da democracia, do Parlamento. Mas quando se oferece a palavra, ela é cumprida em sua totalidade. Agora, a revanche vai ocorrer na eleição da Mesa. Uma certeza se tem da saída de Mauro de Nadal e Nilso Berlanda. Dela, não existe Marcius Machado.


GAGO

A Mesa é Santa. Ali reza-se os destinos de construção e destruição. Esta última, vai mostrar sua força às tarântulas mancas. Cada mês que passa, uma pata será tirada. Neste ritmo, será imobilizada e morrer em sua própria fraqueza. Não se gagueja na Casa. Nunca.


NUNCA

Moacir Sopelsa é o novo presidente da Mesa e Marcius Machado não estará nesta composição. O deputado de Concórdia vai assumir por uns dias o controle do Estado e, o futuro vice, o Parlamento. Esta missa já tem homilia e todos comungam juntos. Os excomungados, mantém-se como.


EXCOMUNGADOS

Não entram na fila. Ali, Judas e seus asseclas são observados em tempo real. Monitorados em todas suas idas e, por isso, em um fim premeditado. Não existe pecado do lado de baixo dos vencedores. Foram absolvidos junto com Carlos Moisés. O maestro disso, Eron Giordani em nome de todos.


TODOS

Julio Garcia é um Moisés que atravessou o deserto, mas não entrou na terra prometida. Entendeu isso politicamente no encaminhamento e, por isso, nobre. Sua grandeza e força da palavra, reza em nome de todos. Seu DNA, na Casa Civil, é o rosto de cada um.


DNA

Eron Giordani é a vitamina de todos os alinhados e fala na linguagem deles. O resultado na votação da Musa Pacotaço da Silva, é a fórmula e o resultado. São invioláveis no traçado de buscas. Quando assumiu a Casa Civil, o placar da Alesc é o fim em si. Sem furo ou tropeços.


Carlos Moisés sabe que o governo está entregue nas melhores mãos e com fiéis seguidores. Ele e Késia fazem o que precisam no presencial, eles na costura disso. Dorme e levantam tranquilos porque Eron, Juliano e Mamute garimpam resultados. A oposição é respeitada e Judas liquidado.



Alesc - Motivação
Rech
Publicações Legais

Fundado em 06 de Maio de 2010

EDITOR-CHEFE
Marcos Schettini

Redação Chapecó

Rua São João, 72-D, Centro

Redação Xaxim

AV. Plínio Arlindo de Nês, 1105, Sala, 202, Centro